Follow by Email

Seguidores

Dani e JV

Minha foto
Danielle Davegna
35 anos, carioca e mãe do João Victor (11 anos e autista)
Visualizar meu perfil completo

Contadores

domingo

Incentivos

Incentivo por Sinclair


"Ser autista não significa não ser humano. Significa ser estranho. Significa que o que é normal para outras pessoas não é normal para mim, e o que é normal para mim não é normal para outros. De alguma forma eu estou terrivelmente mal equipado para sobreviver neste mundo, como um extra-terrestre abandonado sem um manual de instruções.


Meu corpo é perfeito. Minha personalidade não está afetada. Sinto grande valor e significado na vida e não anseio em ser diferente do que sou.


Concedam-me a dignidade de me encontrar segundo meus próprios termos, reconheçam que somos diferentes e que o meu modo de ser não é apenas uma versão defeituosa do de vocês. Reavaliem suas posições. Definam seus termos. Trabalhem comigo na construção de pontes entre nós.
"
***

Incentivo por McKean

Construa-me uma ponte

Eu sei que você e eu
Nunca fomos iguais.
E eu costumava olhar para as estrelas à noite
E queria saber de qual delas eu vim.
Porque eu pareço ser parte de um outro mundo
E eu nunca saberei do que ele é feito.
A não ser que você me construa uma ponte, construa-me uma ponte,
construa-me uma ponte de amor.
Eu espero pelo dia no qual você sorrirá para mim
Apenas porque perceberá que existe uma pessoa decente e inteligente
Enterrada profundamente em meus olhos caleidoscópios.
Pois eu tenho visto como as pessoas me olham
Embora eu nada tenho feito de errado.
Construa-me uma ponte, construa-me uma ponte,
E, por favor, não demore muito.
Vivendo na beira do medo,
Vozes ecoam como trovão em meus ouvidos.
Vendo como eu me escondo todo dia.
Estou apenas esperando que o medo vá embora.
Eu quero muito ser uma parte do seu mundo.
Eu quero muito ser bem sucedido.
E tudo o que preciso é ter uma ponte,
Uma ponte construída de mim até você.
E eu estarei junto a você para sempre,
Nada poderá nos separar.
Se você me construir uma ponte, uma pequena, minúscula ponte
De minha alma para o fundo de seu coração.

***

Eu, uma criança autista
Para E. 7 anos

Sou uma criança autista.
Autismo... O que é autismo?
É doença ou é língua estrangeira?
É feito catapora, sarampo, estrabismo?
Autismo é difícil de explicar,
Não é doença nem "pega" no ar.
Ser autista é ter um jeito diferente.
Às vezes, sempre quieto e sorridente,
Às vezes, levado, correndo, até fugindo...
Ou então chorando: aos berros!
Quando bebê posso parar
Horas e horas olhando
Um pontinho na parede.
Me balançar, me fixar
Num raio de sol
Ou num beija-flor.
Não vejo mais nada em volta,
Nem o seu carinho
Nem o seu amor.
Preciso aprender com você.
Preciso ver nos seus olhos
Que o mundo
É muito mais que esse
tantinho do mundo que eu posso ver
Posso ser gritão, chorão e dar o maior trabalhão!
Não agüento tanta confusão..!
Os ruídos, as roupas, a luz
Tudo me dá aflição!
Mas gosto se a mamãe canta prá mim.
Sua voz mansa e doce,
Sua presença suave
Me acalmam e ajudam a entender
Que esse mundo talvez não seja
Tão ruim de se viver...
Falar é difícil prá mim.
Olhar nos olhos também.
E ninguém me entende
E eu não entendo ninguém
E cresce um nervoso imenso
Uma angústia sem fim
Uma agonia horrível dentro de mim.
Me debate ou puxo os cabelos
(não sei se os meus ou os seus)
Mordo ou pulo até cansar
Ou encontrar alguém
Que com muito carinho me fale
Das alegrias de amar.
Ah, posso ser muito "arrumadinho"
Gostar de cada coisa em seu lugar
Ir sempre pelo mesmo caminho,
Sentar nos mesmos lugares,
Sentir os mesmos sabores.
Se você mudar o meu dia...
Pode se preparar:
Vou me apavorar!
Neste mundo cheio de mistérios
Preciso de tempo prá me acostumar.
As pessoas me atraem e apavoram.
São tão interessantes e tão distantes...
Como será que se entendem?
Imagino bruxaria, mágica, telepatia...
Fazem sons engraçados
Se tento imitar não consigo.
Às vezes, me deixam aflito,
Não sei se choro ou se rio.
Me deixam tonto quando fazem estalinhos.
São "beijinhos"
Seja lá o que isso for...
Sacodem as mãos em "tchauzinho",
Que estranho, parecem até macaquinhos!
É... vou demorar a entender
Este mundo tão cheio de regras.
Não faça isso! Faça aquilo!
Balance as mãos! Dê estalinhos!
Mas se encontro quem me compreenda
E ajude com enorme paciência
Vou crescendo mais feliz, mais calmo.
O mundo me assusta menos,
As palavras soam mais claras.
Já posso mostrar quem sou.
Sou um anjo-menino
Sem maldade, sem rancor.
Não entendo ódio, inveja, deboche,
Ironia, trapaça ou mentira.
Mas posso conhecer o amor.
Se você for quem eu espero e preciso
Serei alguém que você nunca imaginou!

***

0 comentários: